Relaxamento para crianças - Entrevista completa


Entrevista completa com Maria Miranda - psicóloga da nossa equipe - sobre relaxamento para criança

Relaxamento para criancasTodas as crianças podem se beneficiar com técnicas de relaxamento ou elas são indicadas para alguns casos especiais?

Todas as crianças não só podem como devem fazer exercícios de relaxamento e musicoterapia.

O relaxamento infantil pode ser usado por todas as crianças que se beneficiam muito já que vivem num mundo atribulado e estressante.

Na agitação do dia a dia, nas notícias de violência, na luta por melhores condições de vida. Tudo é transmitido às crianças, mesmo quando pensamos que não. Elas são espertas e assimilam toda essa agitação. Por isso, acrescento que o relaxamento deve ser realizado sempre com muito amor, pelos pais ou profissionais que acreditam na técnica.

Quais são os fatores que estressam as crianças? 

O stress é uma reação natural do organismo frente às diferentes situações tensionais ou de emoções intensas que ocorrem com qualquer um de nós independente de idade, raça, sexo, situação econômica ou cultural.

Pode ser gerado por problemas externos ou internos: mudanças significativas e/ou constantes; muita responsabilidade; excesso de atividades; brigas; separação dos pais; rejeição por parte do grupo onde estuda ou freqüenta; morte na família; doenças e/ou hospitalização; troca de professores e/ou de escola, entre outras.

As crianças podem adquirir o stress externamente e acrescentá-lo em características de sua personalidade apresentando sintomas como: ansiedade, dificuldade nas relações interpessoais, desanimo, apatia, terror noturno, agressividade, medo excessivo e depressão. Podendo chegar a sintomas físicos como: fibromialgia, dores abdominais, náuseas, dores de cabeça, ranger os dentes, falta de ar, distúrbios do sono.

O stress infantil pode acarretar ainda doenças como: asma, úlcera, obesidade, gripes e resfriados constantes pela baixa imunidade, além de favorecer a mudança de humor, alteração em seu desempenho escolar e alteração na autoestima.

Ao perceber grande stress na criança é importante consultar um psicólogo.

Crianças hiperativas também devem fazer relaxamento?

Repito que todas as crianças se beneficiam com a técnica, mas é importante um acompanhamento do psicólogo e/ou psicopedagogo com crianças hiperativas. E, em alguns casos também é bom consultar um psiquiatra e não ter preconceito.

Como os hiperativos não conseguem concentrar-se por muito tempo é indicado que relaxem por menos tempo ou que a técnica seja acrescentada a movimentos leves como os da dança ou yoga.

Com que idade os pais podem começar a fazer técnicas de relaxamento com as crianças? As técnicas são diferentes conforme a idade?

Bebês também se estressam, crianças pequenas também tem preocupações que as deixam estressadas. A técnica de relaxamento é importante para todas as idades. Com os bebês a música suave acrescentada a carinhos dos pais ou educadores deve ser o start para o relaxamento. Porém é importante os pais observarem sintomas quando nascem os primeiros dentinhos. No bebê estressado esses sintomas são percebidos claramente através do ranger, triturar ou apertar os dentes repetidamente em atividades não funcionais (parafuncionais) do sistema mastigatório.

Alguns estudos relatam que o bruxismo pode ser observado logo após o nascimento dos dentes, por volta do 1º ano de idade e deve ser tratado por psicólogos e dentistas para que não venha acarretar problemas mais sérios.

A técnica de relaxamento como: ouvir uma música suave, a voz da mamãe cantando ou falando com ternura, o carinho imbuído de amor dá a sensação de quietude e ajuda muito.

Quais são as melhoras que podem ser observadas nas crianças que relaxam? Em quanto tempo elas costumam aparecer?

A técnica de relaxamento contribui para que a criança familiarize-se com seus sentimentos e emoções permitindo que fique mais centrada em suas sensações.

É necessário que a criança tenha um auxílio para aprender a relaxar. A presença dos pais e/ou dos professores estimula a tal aprendizagem. A priori a criança pode apresentar dificuldade na concentração, mas aos poucos se torna um hábito prazeroso e uma brincadeira divertida.

Ensinar a criança a meditar significa ajudá-la a ligar-se com seu eu interior, incluindo a sua imaginação e a verdadeira essência do seu ser.

Reduz a ansiedade, aumenta a capacidade de resolução de problemas, permite que surjam idéias novas. Pode, também, ajudar crianças zangadas, agressivas ou frustradas a acalmarem-se e repensarem algumas situações.

O tempo varia muito de acordo com cada criança, podendo ser visto resultado na primeira semana de trabalho ou somente após alguns meses.

As músicas podem ser aliadas para acalmar as crianças? Como escolher as músicas e o momento para utilizá-las?

A música é fundamental para um bom relaxamento e deve ser escolhida pelos adultos quando estes estiverem tranqüilos e dispostos a planejarem os momentos com as crianças.

O relaxamento deve entrar nos hábitos das crianças? Com que periodicidade deve ser feito?

Deve fazer parte do dia a dia das crianças, de preferência realizado diariamente cerca de 10 a 15 minutos diários.

Por favor, ensine maneiras de acalmar as crianças nos momentos abaixo. Fale sobre a idade da criança para qual é destinada cada técnica, por favor.

- Ambiente controlado, em casa, com tempo pra isso.
- Na escola, quando as crianças estão muito agitadas.

Em casa ou na escola o primeiro passo para ensinar as crianças a relaxar e/ou meditar é fazer com que elas sentem ou deitem numa posição confortável, num local agradável, em seguida propor que respirem profundamente 3 vezes, procurem escutar a batida do coração e fechem os olhos. Além da música o adulto pode intervir orientando para que as crianças imaginem locais bonitos, elementos da natureza, situações inusitadas, porém tranqüilas. É possível realizar o vôo da imaginação também sugerindo aventuras e conquistas, não é obrigatório que sejam apenas situações tranqüilas.

Para o adulto conseguir êxito é essencial que transmita afeto, carinho, amor. As crianças sentirão que são queridas, amadas e desejadas e que aquele momento é importante para elas.

Fazer uma lista de frases e pensamentos positivos e propor que as crianças repitam mentalmente durante o relaxamento, como: “Eu sou feliz, feliz, muito feliz!”

No carro, enquanto a mãe está dirigindo e as crianças não param quietas.

No carro deve-se ter um CD de músicas suaves e a mãe e o pai procurarem falar em um tom de voz calmo repetindo palavras como tranquilidade e quietude, mantendo um diálogo ameno, oportunizando espaço para que as crianças relatem suas experiências e falem sobre seus sentimentos e não a repreendendo com gritos e palavras ofensivas.

Em um ambiente público, como shopping ou supermercado, quando a criança tem um ataque de raiva.

Conversar com a criança em um tom de voz baixo, abraçá-la com ternura, nunca a repreender em público. Sussurrar palavras como: calma, fique tranqüilo, eu amo você! Estou aqui para conversar, preciso que não faça isso.

Na casa de um parente ou familiar, quando o pequeno está muito agitado.

Chamar a criança para um diálogo, procurando um local onde possam juntos respirar fundo e relaxar, deixando-a parar e pensar em suas ações. Novamente enfatizo a importância de demonstrar o amor, fazer carinho e não julgar ou repreender em público.

Em locais onde é preciso fazer silêncio, como igreja ou cinema.

Procurar acalmá-los da mesma forma que citei acima, se necessário for sair do ambiente por instantes.

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:

É preciso observar todo comportamento ou mudança dele nas crianças, inclusive durante o relaxamento, pois caso a técnica não dê o resultado esperado e a criança permaneça agressiva é fundamental buscar um profissional, como psicólogo e, em determinados casos, um psiquiatra. Sem preconceitos com tais profissionais  que podem ajudar bastante em doenças mais graves como: depressão, tdah e bipolaridade – que podem ser apresentadas na infância.

A técnica de relaxamento é muito importante e já está sendo utilizada em escolas, consultórios de psicologia, psiquiatria e até em algumas religiões ocidentais, nas orientais já é comum há anos.

Os pais e educadores que aderirem ao relaxamento devem procurar não cair em contradição e nos momentos em que não estiverem relaxando gritar, xingar, bater, demonstrar agressividade e intolerância, pois assim não terão o resultado esperado. É preciso tentar resolver os conflitos com ternura, afetividade e tranqüilidade, através do diálogo, com firmeza e sem ofensas.

Maria Miranda – psicóloga clínica holística e psicodramatista. Membro da equipe Projetos Pedagógicos Dinâmicos: www.projetospedagogicosdinamicos.com & www.cursosppd.com.br

 

 

blog comments powered by Disqus