É culpa do paciente. É claro

Celso Antunes

 

É culpa do paciente- Você sabe, Maria, eu estou desolada. Adoro o Rafael, descobri que ele é o homem da minha vida, e agora o mundo desaba sobre nossa cabeça com esse maldito processo. Estou arrasada e com muito medo de que o meu Rafa vá para a cadeia...

- Espera aí. Eu estou fora do assunto. Por que estão processando o Rafael? O que houve com seu trabalho na farmácia?

- Ah, Maria. Uma loucura causada por pessoas ignorantes. O Rafael, como você sabe, adora fazer experiências com remédios. E não é que, há mais ou menos um mês, misturando certos sais com um xarope, ele acabou inventando um sensacional remédio para provocar rápido emagrecimento. A descoberta é extraordinária e, ainda há poucos dias, fomos comemorar essa invenção que vai levar o Rafa para as primeiras páginas dos jornais do mundo e, certamente, garantir-lhe um prêmio Nobel. E agora, com esses malditos a processarem-no, tudo pode desabar... Estou inconsolada.

- Mas, calma. A verdade sempre vence. Explique-me, por que o processo? Os pacientes não emagreceram com o remédio?

- Ah, isso é impossível saber. Todos os pacientes, logo após as primeiras colheradas do remédio, morreram e agora seus familiares querem processar o Rafael. É um absurdo, pois se morreram, como podem saber se o remédio fazia efeito ou não?

- Deus meu! Quantos pacientes usaram o remédio do Rafael?

- Nove, ao todo. Um, ainda ontem, estava em coma. Hoje já deve, como os outros, ter morrido. E não é que seus parentes, estúpidos, querem pôr a culpa no remédio? O Rafa é ótimo, o remédio excelente, os pacientes morreram apenas porque são maus pacientes. Culpa deles, é claro.

Isso também acontece com alguns professores.

Existem os que acreditam que suas aulas são maravilhosas e que somente os “maus” alunos não as aproveitam. Se ficam reprovados, estão certos que tal acontece porque assim o querem ou porque não merecem a aprovação. Esquecem que a aprendizagem é uma conquista pessoal, e, o que é fácil para alguns, nem sempre o é para todos. Acham que seus métodos são perfeitos, os alunos são reprovados porque são maus alunos. Também, culpa deles, é claro.


Celso AntunesCrônica de Celso Antunes – do livro Marinheiros e Professores – Editora Vozes

http://www.celsoantunes.com.br/

 

 

 

 

 

blog comments powered by Disqus