Como passar em concursos


João Oliveira

EstudandoTodos nós sabemos que estudar sob pressão acaba por causar um dano na retenção de conteúdo. Estuda-se muito, ou pelo menos se investe muito tempo, e pouca coisa fica realmente guardado da cabeça. Iludem-se os que pensam que tomando café e estudando a noite toda vão obter um resultado melhor, podem até reter algum conhecimento, mas em nível muito abaixo do esperado pelo esforço empreendido.

Para tudo, nesta vida, existem técnicas que nos dão aproveitamento máximo de nossa condição física e mental. Algumas são realmente fantásticas e nos poupam de muito sacrifício oferecendo em troca um resultado altamente compensador.

Este texto nasce depois que ouvi uma paciente reclamando, pois havia estudando para um concurso público, que corria o risco de ser cancelado e mudar de data, estávamos falando do concurso público da prefeitura de Campos dos Goytacazes que, no final das contas, não ocorreu como deveria. Sua fala foi a seguinte:

“- Se mudar o dia da prova estou perdida! Estudei para este domingo.”

A condicionante aqui: “Este domingo!” deixa claro que a mente humana tem regras próprias, ou seja, se o concurso fosse na segunda feira, um dia depois do marcado em sua mente, seu resultado seria prejudicado já que ela estava, absolutamente condicionada, para fazer a prova no DOMINGO dia 15/04, não em qualquer outro dia, somente neste!

Claro que o cérebro é uma via de mão dupla, se podemos condicioná-lo para uma determinada crença, podemos fazer outras programações mais lucrativas. Desta forma comecei a coletar informações de recursos que podem ser úteis na batalha da memorização de informações. Diante dos livros de psicologia, hipnose, pnl, neuróbica e neuroplasticidade, comecei a pesquisar novas descobertas sobre memória e ancoragens mnemônicas. Juntando a isso as técnicas comportamentais modernas de condicionamento operante, a novíssima hipnose sensorial e controle das emoções, podemos ter um grande aparato de guerra para transforma, qualquer mortal normal, em um poderoso recipiente de informações.

Já coletamos cerca de 50 técnicas e, para dar uma ajuda aos desesperados (um curso on line, com todos os recursos, será lançado em maio pelo ISEC) aqui vão as cinco primeiras dicas para ajudar, você, a alcançar a sua vaga em qualquer concurso, ou qualquer prova que necessite de um estudo mais profundo.

Não vamos, aqui, dar explicações científicas muito longas sobre o funcionamento das técnicas, mas posso garantir que não há magia nem truques, tudo está comprovado.

  1. Sempre pratique uma atividade física antes de começar a estudar – jamais levante e comece a estudar meio sonolento, vai perder tudo que ler. Dê uma caminhada ou corra por quinze minutos – pelo menos – isto vai colocar seu corpo cheio de endorfinas e você terá prazer em estudar.
  2. Não estude mais que duas horas seguidas – O nosso cérebro não tem recursos para a distribuição da memória de longa duração num período maior que este. A não ser que você tenha um hipocampo maior que todos nós. Por isto, estude por duas horas, e tire um cochilo de quinze minutos. Depois repita o ritual de andar ou correr e volte a estudar por mais duas horas. O rendimento é muito superior.
  3. Sente-se de costas para a parede – Sério! Nosso sistema inconsciente de defesa teme eventuais ataques vindos por trás (coisa da época das cavernas) e, por isso, não se desliga enquanto não tiver certeza que não há riscos fora do campo de visão. Para dar paz a este sistema e permitir uma concentração total nos estudos, dê um jeito de se sentar de costas para alguma parede.
  4. Use sempre um mesmo perfume – Uai? Essa é estranha! Trata-se de uma ancoragem sensorial olfativa. Usando o perfume (igual) todos os dias que estudar e, repetir a dose no dia da prova, trará um estado psicológico parecido com os dias de estudo o que pode facilitar o acesso às informações coletadas naquele primeiro estado.
  5.  Restrição calórica – o corpo (acredite você) rende mais sob restrição calórica, então coma menos! Não jante durante este período, faça lanches de três em três horas e dê preferências por frutas. Esqueça o café, se tiver sono: durma!

Estas cinco dicas apenas ilustram um universo fantástico de como podemos aproveitar o máximo de nosso cérebro para guardar informações. Espero que você possa usar, comprovar, e depois mandar um e-mail falando do seu aproveitamento (oliveirapsi@gmail.com ) dentro em breve poderemos disponibilizar mais técnicas para transformar você no dono daquela vaga pretendida.

 

João OliveiraJoão Oliveira - Psicólogo Clínico. Mestre em Cognição e Linguagem,  pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) / RJ . Pós-graduado em Hipnose Clínica e Organizacional: uma técnica prática na construção da saúde - SPEI / IBHA - Rio de Janeiro. Pós-graduado em Psicologia Humanista Existencial - UNESA.Pós-graduado em Cultura, Comunicação e Linguagem -FAFIC. Graduado em Psicologia – Formação de Psicólogo - UNESA

E-mail: oliveirapsi@gmail.com 

Currículo Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4247147T6

 

 

 

blog comments powered by Disqus