Júlio Furtado - Habilidades e competências na sala de aula: o que sai e o que fica?

Tania Zagury

Comecemos perguntando por que o discurso do currículo por habilidades e competências ganhou força nos últimos anos? Em primeiro lugar, porque uma nova cultura modifica as formas de produção e apropriação dos saberes. Estamos vivendo uma era pragmática em que o saber fazer e o saber agir são os “carros-chefes” para o sucesso. O saber idealista platônico perdeu lugar nesse mundo. O que importa não são as ideias, as abstrações, mas os resultados, as concretudes, as ações.

O mundo vem mudando num ritmo acelerado e “arrastando” consigo novos paradigmas que precisam ser colocados em prática antes de serem refletidos, compreendidos e “digeridos”.

Conheça nossa nova proposta de capacitação

Palestras

Dia do Índio - Brincando com corpo, explorando movimentos

MeninaÉ essencial que a educação infantil seja plena de brincadeiras que gratificam os sentidos. Levam ao domínio de habilidades, despertam a imaginação, estimulam a cooperação e a compreensão sobre regras e limites, e respeite, explore e amplie os inúmeros saberes que toda criança possui quando chega à escola.

O brincar é mais do que uma distração é uma linguagem na qual a criança revela uma forma de pensamento. Através da brincadeira a criança situa-se no espaço em que vive, constrói a ideia de si e do outro , experimenta, fala, age, interpreta interage, enfim desenvolve habilidades essenciais para uma melhor compressão do mundo.

 

Sem recreio, linha montessoriana está em 27 escolas do País

A estante decorada por dezenas de objetos coloridos é o que atrai a criança, procurando um brinquedo – e uma lição, inconscientemente. Ela pega uma caixa com materiais dourados que ensinam matemática. E, assim como seus colegas de escola, passa a contar, sem números ou desenhos. Tem na mão apenas algumas peças amarelas, que, conforme a quantidade, ela vai aprendendo a chamar de “um”, “dez” ou “cem”. O professor passeia pelo local, indo de criança em criança. Em suas mãos, não há nenhum giz – também não é preciso, onde está o quadro-negro? Mas o lugar é uma escola. Ainda que, definitivamente, essa não seja uma escola tradicional.